Flareless, da Quiron Digital, é um dos destaques do No Fire Brasil

Primeiro evento focado na prevenção de incêndios florestais teve mais de mil inscritos nos dois dias de discussão sobre a temática, que contou com 12 palestrantes referências no assunto; Flareless, da Quiron, foi destacado pelos palestrantes

Com mais de mil inscritos para os dois dias de evento, o No Fire Brasil – Congresso de Prevenção de Incêndios Florestais foi sucesso de público. Primeiro congresso sobre o gênero no país, e um projeto inédito na América Latina,  o evento foi 100% on-line e gratuito. Os participantes tiveram a oportunidade de acompanhar a apresentação de alguns dos maiores especialistas, nacionais e internacionais, e também de grandes empresas, num total de 12 palestras.

A Quiron Digital, uma das grandes entusiastas e também patrocinadora do evento, foi a primeira palestrante do No Fire Brasil, que contou com representantes das maiores empresas do ramo, além de especialistas. Além da Quiron, patrocinaram também o evento GMG Ambiental, Ponsee, Bayer, OroraTech e Guarany.   

Para Diogo Machado, líder de marketing e um dos sócios da empresa, a participação no evento foi muito acertada. Ele iniciou falando alguns números da Quiron – 3 milhões hectares em monitoramento; 23 anos de estudos em ciências geodésicas; 65 estudos científicos publicados; 30 projetos florestais desenvolvidos e 90 % em acuracidade nos modelos – e comentou sobre o cenário dos fogos. 

“Os incêndios florestais são um problema global, que afeta diversos países, não só o Brasil, e é uma situação que está em crescente pelo mundo. Por ano, os incêndios afetam mais de 30 mil pessoas, direta ou indiretamente. Animais sofrem muito com isso também”, afirmou Diogo, lembrando que não existem soluções únicas e nem isoladas, quando se fala na prevenção de fogos. 

“Não existe bala de prata no mercado para incêndios florestais, tem-se toda uma cadeia de soluções tecnológicas, que auxiliam as empresas, e os combatentes em campo, para diminuir a área queimada. O nosso objetivo, enquanto Quiron, é criar mais uma camada, que é a predição. Predição do risco de incêndio. Qual o perigo de incêndio, com 10 dias de antecedência? Nós conseguimos avançar com esse tipo de dado”, disse ele, no evento. 

Diogo comentou também sobre as variáveis utilizadas pela Quiron para validação do processo de predição de incêndios. 

“Unindo todos os nossos 12 macro fatores,  temos mais de 40 passos dentro do modelo, com seis fatores de risco, e um sétimo, que os black dots (pontos críticos iminentes de fogo). Esses pontos mostram onde há mais perigo de incêndio, e isso me dá a capacidade de criar os protocolos preventivos necessários para que eu coloque as pessoas direto nos locais com maior periculosidade. Então, se for necessário alocar o meu time de combate a campo, por exemplo, faz sentido posicioná-los nos agrupamentos de pontos críticos, que é onde eu tenho maior risco, tanto de queima como de ignição”, completou.

Alguns dos participantes do No Fire, como CMPC, Suzano e a OroraTech, parceira da Quiron,  também comentaram sobre a solução Flareless, exaltando o algoritmo utilizado.  A Quiron agradece o convite pela participação no evento, liderado pela Paulo Cardoso Comunicações e Portal Mais Floresta, sempre na vanguarda de grandes ações do setor florestal.  

Confira como foram os três dias do evento nos vídeos a seguir: 

Mais blog posts