O aumento dos incêndios florestais e a tecnologia Flareless como solução preditiva

 

O cenário mundial

Incêndios florestais tem sido um termo comumente citado em noticiários de diversos países do mundo, e vêm ganhando cada vez mais expressão durante os últimos 3 anos. Somente no buscador Google do Brasil, as pesquisas por esse tema apresentaram um aumento de aproximadamente 265,63% entre os anos de 2019 e 2020. Isso acontece porque, no mesmo período, o mundo passou por múltiplos cenários catastróficos envolvendo a queima de milhares de hectares de florestas.

Segundo o INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, apenas em 2020 foram registrados 222.798 focos de incêndios no país, o que representa um aumento de 12,7% quando comparado ao ano de 2019. O Pantanal, por exemplo, um dos biomas mais diversos do Brasil, teve cerca de 30% de sua área destruída pelo fogo durante o último ano.

A FAO – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, afirma que cerca de 90% dos incêndios florestais têm como causas ações humanas. No entanto, fatores climáticos e vegetativos são também determinantes para incrementá-los, contribuindo para sua manutenção e propagação. Dentre as áreas que encontram-se sob influência desses fatores, há ainda aquelas de maior potencial de ocorrência de incêndios, seja pela proximidade de centros urbanos, estradas, ou maior volume de material combustível.

O impacto desses incêndios pode atingir múltiplas escalas, afetando desde a biodiversidade local, com a degradação da fauna e flora, alcançando até mesmo níveis globais com a emissão de carbono na atmosfera. A velocidade e agilidade no monitoramento e controle das chamas é determinante para a eficiência de seu manejo. Por isso, hoje as principais empresas do setor florestal investem seus esforços não apenas em planos de combate e controle, mas também na prevenção desses casos.

O Flareless

A Quiron Agrodigital traz para o setor florestal o Flareless, software de monitoramento preditivo de riscos de incêndios florestais, que permite a redução do investimento necessário para a gestão ou combate do fogo, e dos possíveis danos na produção. A solução alcança cerca de 90% de assertividade na predição, e supera os principais sistemas deste segmento disponíveis no mercado.

              

O Doutor em Ciências Geodésicas e CRO da Quiron Marcos B. Schimalski, compartilha o case realizado em Belmonte/PO, e explica a eficiência dos blackdots, ou pontos de alerta: “O sistema Flareless calculou blackdots para os locais mais críticos para o risco de incêndio. E destes, 90% coincidiram com locais onde ocorreram incêndios florestais. A validação destes locais foi feita mediante trabalho de campo ou ainda empregando-se índices de área queimada. Essa taxa de acerto é possível, pois além de utilizar técnicas de machine learning para o processamento dos dados, foram utilizados parâmetros como a análise da vegetação, variáveis geográficas e climáticas”.

Com a mais atual tecnologia do setor, a Quiron monitora cerca de 10 milhões de hectares, garantindo segurança e produtividade de florestas em todo o mundo. Entre em contato agora mesmo, e confira como podemos ajudar o seu negócio!

Mais blog posts